sábado, 20 de janeiro de 2018

Como fechar esta conta cósmica: Física quântica, Cern, deus, mitos, existências, vícios, defeitos, sexo, mutação, garras, esporões, dentes, presas, cornos, sangue, seiva, espinhos, unhas, sorrisos, botes, peçonhas, constrição, saliva, hormônios...




Não escrevo por escrever, escrituro por dever. Uma exigência eterna enquanto dure. Saboreio a sacarose dos cachos de uvas, que Baco/Dioniso usam em suas orgias... O vinho é uma consequência dos primórdios do conhecimento humano. Nunca disse que não estou perdido. Contudo, minha vantagem sobre outros primatas que habitam este planeta é saber que estou Lost, assim, como Sócrates reconheceu que tinha "consciência" que não sabia de nada, ou seja, isto era sua vantagem inalada pelo sulfuroso oráculos de Delfos, por meio de sua pitonisa ( Sócrates e o Oráculo de Delfos: a origem do “sei que nada sei”)... Teoria da relatividade UP...  Sigmund Freud morreu por meio da euthanasia, foi viciado em charutos e cocaína...  A metafísica é a idealização ou a construção do que não podemos realizar no sistema de física clássica. Contudo, possível na filosofia da mente selvagem de Alexius Meinong na teoria dos objetos não-existentes. A teoria das Cordas também suporta o unicórnio cor de rosa bebendo água puríssima na fonte de um parnaso divino. 



O conhecimento é perceber o que não tínhamos detectado antes. O viver é a preocupação, a gravidade, as forças que interagem em nosso corpo. A goma de mascar, independente do seu "sabor", é a mecânica humana que nos demonstram o nada. Apenas uma gastrite no espaço-tempo. Caminhamos pelas avenidas do universo em mutação-anti-parmenídicas. Porém, no universo antropomórfico tudo é ilusão. Tudo se move. Tudo está imutável. Tudo é absoluto. Tudo é relativo. Apesar da teoria da relatividade considerar a velocidade da luz absoluta. Como fechar esta conta cósmica: Física quântica, Cern, deus, mitos, existências, vícios, defeitos, sexo, mutação, garras, esporões, dentes, presas, cornos, sangue, seiva, espinhos, unhas, sorrisos, botes, peçonhas, constrição, saliva, hormônios...


quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Soliloquĭum, Confissões Mundanas... Solilóquio... Santo Agostinho & Suas Antíteses Existenciais...





Confissões Mundanas... Solilóquios... Estamos sozinhos e morreremos sós - Conforme filosofia budista. Dentro de um quarto existencialista. Escuro & pessimista. O álcool é presença constante. Lendo clássicos da filosofia & literatura. Vivendo como um ser exangue, esvaziado pelos aracnídeos pós modernos. Sugado pela ignorância ejaculada & impregnada nos cérebros afetados pela informação pasteurizada no consumo de massa. Platonicamente - Respirando oxigênio estranho aos adeptos do deus-mercado. Nada recompensará a destruição do planeta... A sensibilidade com o contato material se resume algumas poucas funções fisiológicas. O fim de semana se aproximava. Abandonamos a célula de sobrevivência: - Quatro paredes mofadas, livros, um rádio sintonizado na rádio da universidade, uma garrafa térmica e uma cuia... Vamos entrar no clima da noviça rebelde, tomando Barbitúricos, anos sessenta ingênuos & libertadores. Dançar nas montanhas. Porém, o desejo é encontrar Διόνυσος (Dioniso). Nietzsche enlouqueceu em Turim num sótão de pó & venetas. Apesar de saborear, Sapiens, aquele que saboreia, adquiri conhecimento - Os cachos de uvas do mediterrâneo, que causaram o choque de culturas. A alimentação gordurosa dos nórdicos versus a fitness sul-europeia-Mediterranean-diet. A música é um erro depois que você atinge uma certa saturação de existência...  Todos caminhos levam a Roma. Deus não nos enxerga. Os filhos de Cesar nos traíram & assim caminha a humanidade... Muito bruta & à la Brutus... 

Começamos a caminhar em direção a lugar nenhum. Neverland ou  Citizen Kane, ainda Xanadu... Avenidas vilipendiadas. Peter Pan-Capitalista-Disney nos prometem um universo de mágia. The Walt Disney Company era informante do FBI de Edgar Hoover - Sedento por caçar "comunistas" com o intuito  de tergiversação à sua condição sexual ( Freud Explica).  O dinheiro gerado pelo sangue y suor serão subjugados pelo acúmulo do capital improdutivo. As lei e os livros de historia são escritos pelo Status Quo - Sem soberania popular. A democracia ocidental é uma ratoeira. A armadilha está pronta para armazenar nos depósitos cerebrais dos ignaros a salvação pela meritocracia, pela iniciativa privada, pela programação da Rede Globo News & assemelhados... De um diálogo solitário - Brotou como um gêiser. A indignação singular de um sobrevivente num país golpeado pelos rentistas & federações empresariais... FIESP/FIERGS/4esses... 



domingo, 31 de dezembro de 2017

A MÃO INVISÍVEL DO UNIVERSO: ET = ZA/MZ - A força escura é apenas gravidade. A gravidade é a força vencedora de toda ignição?




A equação de tudo é igual a:

         | Temperatura |

ET =    Zero Absoluto     (0°K) - (ou onde as matérias e energias iluminadas e escuras estarão inertes & o conhecimento humano inerme)...

ET = ZA/MZ

Onde ET é Eternidade.
ZA é Zero Absoluto.
MZ é Movimento Zero.

A força escura é apenas gravidade. A gravidade é a força vencedora de toda ignição? - Sim, a gravidade é a energia sem energia, apenas o congelamento do big-bang, sem velocidade, mas a única que subirá n o podium da eternidade... Big-Bang vs. Big-Crunch....




sábado, 23 de dezembro de 2017

UM CONTO DE NATAL - Sem Charles Dickens: "There is no free lunch" Não era tempo de se embriagar com a alma cristã. Sua existência dependia do lucro das vendas anti-convencionais.




Capitulo Um



Levantou da cama improvisada. Colchão de espuma puída em contato direto com o assoalho cupinizado. O amargo da cachaça misturado com a cannabis sativa e migalhas de pão - da madrugada - contaminavam as papilas gustativas. Amanheceu. Pegou o trinta e oito em cima da caixa de mazanas argentinas, que servia de criado mudo. Colocou a máquina entre a calça de brim presa pelo cinto de fivela de metal e a derme.  Jogou o tijolo de maconha na fórmica amarela da velha mesa no centro do barraco. Começou a embalar de forma que o lucro fosse otimizado. Merreca sentado - Parecia ainda menor. A mobília era advinda do lixo. Um metro e meio de altura derivava da subnutrição. A aparência era de um quasímodo invertido. A protuberância do Corcunda de Nortre Dame, brotava no peito. Era o quinto filho de uma mãe solteira. Há muito tempo não a via. Não tinha notícias. As lembranças evocavam os cabelos negros escorridos no rosto sofrido e vincado de todo discriminado.  A mamadeira de água turva misturada com cachaça para mitigar o choro. A casa de chão batido, construída com papelões e madeiras frágeis... Ela saía a noite. Marcava presença nas esquinas das luzes capitalistas, que atraem todas as mães-mariposas-sem-oportunidades, traduzindo, ou melhor, nunca se enquadraria na meritocracia dos neoliberais da sofrida América do Sul, governada pelas elites rentistas e detentoras de cinquenta por cento das riquezas, apesar de representarem um por cento da população. O corpo era o ganha pão... Neste período, Merreca ficava dentro do berço de "ouro" (Uma caixa de papelão que outrora armazenava detergentes - Úmida e mofada) - Um pote de margarina adicionado de açúcar misturado com analgésicos. A luz de velas dava uma certa claridade, projetando alguns objetos deformados nas frágeis madeiras da parede. Nunca conseguiu se libertar da caverna de Platão, ou seja, a favela da miséria. Hodiernamente, tudo é passado. Seus irmãos e sua mãe morreram na memória ou nas exigências da  vida real... 



A existência, o destino já estavam delineados... As ciganas identificariam nas linhas das mãos: Um futuro soturno, apesar de uma ascensão fátua. Os jogos de búzios prognosticaram maus augúrios.  A filosofia existencialista de Jean-Paul Sartre era nula. Na linha abaixo da pobreza não podemos fazer nada melhor do que a sociedade nos fez.  Poderíamos construir algo a mais do que fizeram de nossa vida? - Dificilmente, num país em que  já é marginalizado no vagido. Se não tem berço, se a aparência não for o padrão do status quo, se não pertencer ao estamento do poder. A filosofia das elites brasileiras é a ideologia lombrosiana. A sociologia dos poderosos nos indicam contrários: Meritocracia, mobilidade social, competência, que sempre estão na filosofia da dominação, do senhor, nos boulevards  dos bairros nobres, nos shoppings, nos centros burgueses, porém a pele, a origem nos condenam. A não ser pela exceção, teremos acesso aos altos de uma sociedade castradora, discriminadora e desigual... 




Vinte e um de dezembro: Merreca descendo o morro. Quanto mais perto dos vales - Enxergava as luzes que o atraiam. As casas da classe media iluminadas por dispositivos made in China - Preenchiam seus olhos. As avenidas dos pequenos burgueses todas decoradas, iluminadas... Esse era seu sonho de consumo. Desde a infância, sonhava pertencer a uma família com condições econômicas de bancar suas necessidades. Isto inclui sua deformação corporal a ser superada por alimentação superior. "Invejava" os playboys aos quais fornecia a erva do diabo, os flocos, aos Neves' noses. As  vezes tomava cerveja nos bairros da classe media alta com seu mercado cativo... Na semana que antecede o natal, saem das manchetes do mainstream  as guerras, a miserabilidade humana. O espaço vazio é invadido por propagandas melosas, piegas. Papais-noéis preenchem vitrines, ocupam ruas, alguns são pedófilos disfarçados. Refrigerantes, mídias, corporações, famílias se unem em torno do espirito cristão. Com efeito, estamos sob influência do deus mercado. O capitalismo constrói a alma natalina. Consuma e será feliz...



Não era tempo de se embriagar com a alma cristã. Sua existência dependia do lucro das vendas anti-convencionais. Merreca se descuidou. Sua contabilidade estava no vermelho contra o patrão. Sua vida era um exemplo do velho jargão, que alguém disse algum dia, talvez, Tim Maia: "Este país não pode dar certo. Aqui prostituta se apaixona, cafetão tem ciúme, traficante se vicia e pobre é de direita...



Vinte e dois de dezembro: Merreca começou a percorrer os points onde mantinha business. Havia necessidade de superar todas as metas atingidas. O vermelho do débito não colocado no azul, significava a cor do sangue do ajuste de contas. Contabilidade gerencial do tráfico... Garrafa de cachaça na mesa. O copo americano padrão dos butecos da favela. A cajembrina, gíria para designar mix de água-ardente  e abacaxi. Um cigarro de maconha entre os dedos deformados faziam a configuração. Merreca passou o baurete para seus possíveis clientes. Showroom... 



Continua...

domingo, 17 de dezembro de 2017

Quanto menor o tempo do universo, Pós-Big-Bang - maiores mudanças radicais ocorreram.




Quanto menor o tempo decorrido no espaço-tempo do universo, Pós-Big-Bang - Maiores mudanças radicais ocorreram. Da unificação surgiu a diversificação. No presente e futuro, sofremos as consequências de quanto maior a expansão, menores as mudanças no  estágio do cosmos, apesar do aumento de aceleração (Claro que aqui está sendo considerado a matéria e a energia escura, que representam noventa e quatro por cento do cosmos) . O que a ciência chama de massa nula & derivativos, se deve ao fato de não termos sensores tecnológicos para detectar a possibilidade de sua existência para o senso comum.  Os neutrinos, Vera Rubin ,   áxions & os neutralinos -   Nos justificam. O prisma de Newton proporcionou a física quântica - Aposto nisso... As cores e suas respectivas radiações, ou ainda, a representação das ondas - Nos iludem, no sentido, de como e quanto estamos "perto" e ao alcance de um conhecimento total - Como insinua a Teoria das Cordas. Vamos mais longe... O antropomorfismo na sua artificialidade concentrada, na constituição do conhecimento do objeto, incluso todos os universos da mais moderna física, é temporário. Com efeito, tudo que sabemos baseado na epistemologia, igualmente, no transcendentalismo em todos seus graus - Se extinguirá com a impossibilidade de vida humana com o fluir do espaço-tempo... Somos apenas registro do que passa, mas num futuro tão distante não haverá "fotografia"  do que passará, pelo menos no conceito humano de racionalidade... 


quinta-feira, 14 de dezembro de 2017





Deep Red mascava folhas de coca. Seu aparelho auditivo sofria intensas ondas sonoras advindas de The Mamas & The Papas & Nathalie Cardone. As flautas mágicas o levavam a  Machu Picchu. Flores, arroz integral e chá bansha.  O álcool ia consumindo sua existência. Deep Red não evocaria mais as armas de antanhos para construir a revolução. Depois de décadas, D.R. concluiu que  a ignorância é a matéria-prima para que o status quo se mantenha na direção dos fatos. Não podemos aviar nenhuma fórmula. Seguimos o destino do que não conhecemos... D.R. escreveu uma frase, verso, dependendo do olhar do observador: "Pétalas ensolaradas brotam da minha profunda solidão"...


Os dias se sucediam. Nada de novo no front. O caminhar ao abismo seguia a passos largos. Na boca o amargor existencial da filosofia existencialista de Jean-Paul Sartre & suas mescalinas. A mente digitalizada perdeu o sentido da vida, não procurava mais ilusões,  como por exemplo, o Cálice do Santo Graal. O mundo cyber virou a coisa-em-si. O corpo era um mix de álcool, bactérias transcendentais, vírus inescrupulosos, química e física. Perdi tudo, mas ganharei a paz eterna de Kant. Os túmulos que o digam. Deep Red sabia de todas estas consequências que o esperavam no futuro... Sua mantra era: " Que a morte venha sem dor". Os deuses das invenções humanas, que esperem a configuração atômica decair ao nível de sem consciência, ou melhor, uma boa morte,  Eutanásia...




sábado, 9 de dezembro de 2017

Oceanos Cósmicos de Dúvidas - Cern | Êxtase Alquímico | Rimbaud | O sol e o Mar São a Eternidade | Temperaturas Infernais...




Os sentimentos congelados contrastando como as sinapses aos borbotões, tornando o cérebro a altas temperaturas infernais. A energia da natureza está dominada pela resistência do córtex. O sol, o mar, a atmosfera e tudo que nos cerca pelos sentidos está freezer no pensamento, apesar de Rimbaud afirmar: O sol e o mar são a eternidade. Continuamos nadando no rio de Heráclito. Contrariando a lei da gravidade. Somos salmões-humanos movidos por osmose reversa. Liquidificada  toda a filosofia, todo o passado. Estamos desmanchando. A poesia é cruel com a existência humana. A ilusão se perpétua nas letras, mas esmorece nas vivências da epiderme. Os canais digitais se preparam para formar a "mente" da humanidade. Do nada sai o tudo. Os ponteiros do tempo nos condenam. Estamos inermes. Os bucaneiros do espaço-curvo logo chegarão. Não nos sentimos seguros nem dentro dos tuneis do CERN. Queríamos ser neutrinos. A tabela periódica com suas luzes brilhantes, numa Moscou distante, com gelar polar no pensamento de um ser solitário, nos deserdou para prosseguirmos pelo universo em expansão. A Sibéria guarda segredos de black hole & aliens. Nossa cabeça está avariada por infinitos Worm Holes, causado imensuráveis oceanos de vodka. Parmenides dizia que nada se move, contudo ofereceu todo seu tesouro por uma tábua de certeza  para flutuar num oceano cósmico de dúvidas:

"Estamos a deriva, como o ser  verdadeiro é movido, por vezes, dessa maneira, às vezes, da mesma forma, juntos, para cima, para baixo, dentro de todas as direções".



sábado, 2 de dezembro de 2017

Almas impalmas, quagmires quânticos, quartos escuros, vodka em excesso... As palavras começam a manipular os neurônios e as falanges - que dedilham as teclas digitais




Almas impalmas,  quagmires quânticos, quartos escuros, vodka em excesso... As palavras começam a manipular os neurônios e as falanges - que dedilham as teclas digitais (Talvez o Empirismo do Velho Império Britânico, Onde o Sol nunca se Põe)... Almoçamos todos nus com pratos vazios. Os livros estavam sobre a mesa, apenas viramos páginas. A estrada perdeu o encanto. Estamos mais improváveis. As luzes vieram do infinito transparente. Não soubemos compreender. Acid Test. A visão humana é um ilusionismo desde Adão & Eva. Depois de sermos iguais, poderemos sumir. Só compreende quem sabe que a assimetria no universo foi fundamental para a vida. Quanto tempo que seus pés não sofrem a massagem das escumas do mar. O sol quer tua companhia. O sangue da alma. Estamos presos as forças fundamentais do universo. Os animais e as plantas riem da perspectiva humana & sua suposta consciência. Na sua evolução aprenderam saber sobre o fluxo do rio de Heráclito. Com efeito, caminhamos grogues e sem destino.  Tudo que está suspenso no ar e preso aos gravitons mergulhará em um dos infinitos  estados líquidos da matéria sólida. Procurei as escritura bêbadas feitas com sangue, pó, álcool e sarjetas. A existência em áreas sombreadas pela luz da moralidade ocidental falharam, pois a moralidade é fake, inexistente no corpo primata-humano. Os universalistas e os nominalistas  são faces da mesma moeda, trocando em miúdos, são invenções do antropomorfismo, que se extinguirão quando o último homem sentir na sua epiderme a não-existência....




    

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Seus olhos estão condenados pelo que você não viu...




Seus olhos estão condenados pelo que você não viu... Suas mãos por não agir... Vamos culpar o cérebro. Sabemos que não temos domínios. Somos birutas de aeroporto virando conforme a natureza do vento, mas não temos saídas para a categoria nº 5 e brisas de verdades. A alma humana é o papel de seda colorido na estrutura de uma pandorga voando no cerúleo. As muralhas da China fazem o papel de contenção. O alien está sob controle. Vamos adiante... 


Nietzsche tinha razão - Quando afirmava que o conhecimento tira o prazer do objeto. Com isso sua filosofia mergulha em busca da irracionalidade.. A ciência na sua ilusão perpétua de desvendar o universo,  revela toda sua fragilidade. Nosso estomago mental precisa de aditivos: Religiosos, químicos, energéticos, filosóficos ou qualquer forma, para a existência não cometer o suicídio...  


O Homem só é feliz quando esquece que é homem. Sua pele, quase sem pelos, precisa da lã, da seda, do algodão, da artificialidade dos tecidos. Os sonhos comungam a mentira com a realidade. A humanidade não está ciente que sua inconsciência cósmica deriva de infinitos oceanos de metais em mutação e fogo ardente. Na madrugada soprou um vento frio e nervoso. Advindo dos intestinos de um buraco de minhoca. As mãos e as mentes se entrelaçaram num vórtex cerimonial de forças oponentes. E assim - Esperamos o fim do infinito na morte do último homem & o regozijo do cosmos...


sexta-feira, 20 de outubro de 2017




Amanhecer morno. Avisos Clima-Tempo: Storms... Storms... Saúvas em linha reta de prontidão - Levam nossa flores, nossos pequenos cultivos, nossos jardins. Quem são os invasores? - Já tivemos um escritor, Monteiro Lobato, que pronunciou: - Ou o Brasil acaba com formiga ou a saúva acaba com o Brazil... Eram outros tempos. Não tínhamos consciência. Ecologia era uma palavra desconhecida, que veio da combinação dos antigos,  sábios  gregos, ou seja, Echo... A ninfa Echo representa em sua pureza uma infinita voz em defesa da natureza. Hera, esposa de zeus, simboliza o capitalismo voraz que "silenciou" Eco com aprovação do poder econômico. Narciso seria o alienado, ou seja, a massa manipulada pela grande mídia convencional...

  
Estamos num planeta em desiquilíbrio. Os homens caminham, muitos dirigem bólidos poluentes,  outros voam em aeronáuticas que provocam aquecimento global, como o monóxido e o dióxido de carbono, os hidrocarburetos gasosos, e os óxidos de nitrogênio. Os furacões se propagam no oceano atlântico. Os mares se aquecem & plastificam.  Os Mainstreams globais, financiados pelo poder econômico se calam quanto os verdadeiros poluidores globais. Vivemos tempos difíceis. A população vai se apascentando com os Fakes da Big Mídia Convencional. Hurricanes  devastam o Caribe, até a Irlanda. O aquecimento dos oceanos estimulam a os graus da escala Saffir-Simpson. O paraíso terreal vai sendo devastado pelo egoismo humano. 




terça-feira, 10 de outubro de 2017

Ultimamente - Sonho com objetos, ontologias cibernéticas, muito inconsistentes...




Ultimamente - Sonho com objetos, ontologias cibernéticas, muito  inconsistentes... Considerando a "mente selvagem" de Alexius Meinong, a verdade do impossível deve ser realizada em um dos universos paralelos. Então, sou um contradito - Realidade versus pensamentos. Well, este é um problema humano. Depois que senti o infinito não sinto mais nada... A espera do infinito é infinita - Uma troca de gêneros. É como pedir uma vodka & uma cerveja ao mesmo tempo... A liberdade diante ao pre-determinismo do universo acolhe toda as nuances do arco-iris. 


A humanidade - Construção da evolução - Nos remete ao universal. Do macaco ao bípede implume de Platão, ou seja, a racionalidade. Porém, o discípulo da Maiêutica de Socrates, criou dois mundos, ou seja, das ideias perfeitas (elites) & os simulacros (Periferia). Karl Marx os transformou em agentes reais. Começou a consciência da luta de classes, por mais que neguem a classe media alienada & os donos do capital. Os livros se abrem. As mentes se fecham. O fascismo se expandem. Perdemos espaço dentro do córtex pela intemperança. A violência nos consome. A verdade nos falsifica. A imposição midiática nos transforma em objetos do deus mercado... Os bares da America nos salvam de nossos pesadelos... 




sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Perpassamos o presente com lanças acúleas sem a preocupação com os corolários...





Perpassamos o hodierno com lanças acúleas sem a preocupação com os corolários, que só vingam na lógica & matemática. O Futuro nunca existirá no presente. A não ser nos filmes & livros de ficção científica. O a priori é uma invenção do posteriori. Às vezes o que na matemática é possível, com efeito, o tempo-espaço-curvo não suporta. O bípede implume e "racional" impregnou no neo-córtex a solução chamada deus. Não temos mais nada a temer. A crença que se tornou a base do pensamento, refletiu de forma bisonha no pai do racionalismo. Descartes - a partir da dúvida - Constrói todo seu método - num quarto com calefação na Holanda. Seu cérebro entumescido pelo gás carbônico gerado por sua própria respiração e a combustão para aquecimento das quatros paredes,  o conduz da incerteza do demônio dissimulador ao absolutismo em deus. Suas ordenadas e abcissas são a cruz que crucificam jesus. O piloto fantasma agora acelera no espaço bidimensional da cruz. Papas nas sua luxurias aproveitam suas influências para manter o status quo. O filosofo do método salva a igreja católica e enterra o verdadeiro renascimento.  Assim como Lutero impediu a humanidade ocidental se livrar de uma vez da religião. Novamente, o homem colocou a pressão do pecado original na sua existência. Similar ao que os governos colocam no bolso do cidadão desde nascença, ou seja, a dívida pública por ele não contraída e  usufruída no custo-benefício para algumas elites. A bolsa de valores foi inventada pelo vaticano que vendia papeis em troca da salvação. A compra de Indulgências foi a partida para o capitalismo selvagem, que hoje grassa nos boletos de "ajuda" a obras faraônicas, como por exemplo, O Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida dos Apostólicos Católicos Romanos, ou ainda, do Palácio de Salomão do Bispo Evangélico Edir Macedo, sem falar  dos jatinhos dos pastores de deus ou as riquezas escandalosas do vaticano...



Durante o Pontificado do Papa Leão X (1513 – 1521), essa prática atingiu o seu auge. (Extraído: O Livro Negro do Cristianismo - Dois Mil Anos de Crimes em Nome de Deus):

Segue aqui, uma lista, com alguns dos perdões previstos e seus respectivos valores ou pagamentos.

1. O eclesiástico que incorrer em pecado carnal, seja com freiras, primas, sobrinhas, afilhadas ou, enfim, com outra mulher qualquer, será absolvido mediante o pagamento de 67 libras e 12 soldos.

2. Se o Eclesiástico, além do pecado de fornicação, pedir para ser absolvido do pecado contra a natureza ou bestialidade, deverá pagar 219 libras e 15 soldos. Mas tiver cometido pecado contra a natureza com crianças ou animais, e não com uma mulher, pagará apenas 131 libras e 15 soldos.

3. O Sacerdote que deflorar uma virgem pagará 2 libras e 8 soldos.

4. A Religiosa que quiser ser abadessa após ter se entregado a um ou mais homens simultaneamente ou sucessivamente, dentro ou fora do convento, pagará 131 libras e 15 soldos.

5. Os sacerdotes que quiserem viver em concubinato com seus parentes pagarão 76 libras e 1 soldo.

6. Para cada pecado de luxúria cometido por um leigo, a absolvição custará 27 libras e 1 soldo.

7. A mulher adúltera que pedir a absolvição para se ver livre de qualquer processo e ser dispensada para continuar com a relação ilícita pagará ao Papa 87 libras e e 3 soldos. Em um caso análogo, o marido pagará o mesmo montante; se tiverem cometido incesto com o próprio filho, acrescentar-se-ão 6 libras pela consciência.

8. A absolvição e a certeza de não ser perseguido por crime de roubo, furto ou incêndio custarão ao culpado 131 libras e 7 soldos.

9. A absolvição de homicídio simples cometido contra a pessoa de um leigo custará 15 libras, 4 soldos e 3 denários.

10. Se o assassino tiver matado dois ou mais homens em um único dia, pagará como se tivesse assassinado um só.

A lista da “safadeza” é longa, segue com pelos menos 35 condições de pagamento.

Para ler mais, consultar: O LIVRO NEGRO DO CRISTIANISMO – Dois Mil Anos de Crimes em Nome de Deus.




segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Sweeteners: Ética, moral, Religião e tratamento de toxicômanos são assuntos tratados por uma ótica metafísica...







Ética, Moral, Religião e tratamento de toxicômanos são assuntos tratados por uma ótica metafísica, apesar de estarmos em pleno terceiro milênio. Estes assuntos, como já alertava o filosofo Friedrich Nietzsche, no século dezenove, devem ser tratados pela fisiologia. Ah, mas o bípede implume trás na sua quintessência a hipocrisia dissimulada como virtude. Condena toda a diferença como pressuposto de sua ignorância.   A cada escândalo econômico-político, as virgens do livre-arbítrio lamuriam, colocam o dedo em riste na face dos corruptos. Contudo, a realidade é dura. Os mesmos que acusam - São praticantes de crimes semelhantes ou pior.  A moral, a ética & o bem and mal - São apenas estratégias de poder. Chega de Sweeteners para encobrir, caramelar a pulsão humana. Ela tende para o egoismo...




Discordo de Stephen Hawking, quando diz: "Estou convencido de que precisamos deixar a Terra." Não. Um sonoro não. Precisamos mudar o estilo de vida, onde 1% detém 50% das riquezas e recursos globais. Não podemos destruir o planeta e sairmos impunes. Óbvio que estou falando das elites econômicas, pois sairão ilesas de qualquer catástrofe natural ou não. Navegarão e se instalarão por outros planetas, enquanto a população morrerá nas poluições do consumismo desenfreado. 







domingo, 16 de julho de 2017

Era apenas mais uma sexta-feira do calendário dos homens. Marcando 10:00 h - Ante Meridiem.





Era apenas mais uma sexta-feira no calendário dos homens. Marcando 10:00 h - Ante Meridiem. Já estávamos na segunda chávena de Vodka & Gelo. Tocava Chopin no Youtube  - Nocturne Opus 9. Junto com álcool era o alívio para a atmosfera pesada, cansativa de todas mesquinharias humanas. Os segundos travavam os minutos. Os minutos frenavam as horas. As horas arrastavam o dia num imenso ramerrão. Precisamos mais movimento. O do planeta é insuficiente. Estaremos bem na velocidade da luz ou da super lumínica. Os neutrinos atravessam nossos corpos sem serem percebidos. Os sentimentos criam raízes no neocórtex. O universo determina nossos passos. E o livre-arbítrio - uma formula para religião, política & economia - manter as elites chicoteando os escravos do deus mercado.  O joguinho de Tom & Jerry - o gato perseguindo o rato - desde os primórdios da humanidade - ainda não foi percebido por quem paga a conta. 



Temos ciência que o substrato que constitui ou constituiu o universo e o homem - estão em constante ebulição. Átomos combinando com átomos, cambiando elétrons, formando moléculas, diversas atualizações no campo existencial-matéria. Forças hercúleas - que movimentam subpartículas dentro das mesmas & gerando - cada vez mais - partículas de deus -  Bóson de Higgs. Somos enganados todos os dias com a opção do livre-arbítrio, mas os tuneis do CERN nos mostram uma incerteza dentro da previsão, ou seja, somos pre-determinados... Somos apenas espectadores.. 




segunda-feira, 10 de julho de 2017

Heranças metafisicas de um passado recente. Talvez, manifestações dos primórdios do neocórtex.





Ultimamente - Intenso - Os pensamentos procuram desvendar a morte... Heranças metafisicas de um passado recente. Talvez, manifestações dos primórdios do neocórtex. Com efeito, temos o substrato filosófico - Dando suporte - Atualizações dos campos existenciais do espaço-tempo se extinguindo no ente - Pedra, Peixe Primata, Pinheiros... Cientificamente, existimos a partir do acaso do universo. Câmbios de elétrons, subpartículas regidas pelas quatros forças que predeterminam o cérebro & tudo mais. Somos a passagem entre a ignorância & uma suposta inteligência fátua. Nada faz sentido - Quando a morte ronda nosso corpo.  O rio de Heráclito e o fluxo que nos condena a mudança... A humanidade é uma ridícula nanopartícula cotejada com o universo infinito. Einstein e sua imaginação superior - Apesar de voar em direção contrária a um corisco (Emissão intensa de radiação electromagnética resultante de uma descarga electrostática na atmosfera (o raio) produzida por uma grande diferença de potencial elétrico entre porções de matéria (nuvem-nuvem ou solo-nuvem) - Afirmava que o universo era estático. Por qual viés  traçamos nossos caminhos numa vivência irreversível. Somente o Amor Fati ( Nietzsche - amor ao destino) nos salvará da depressão profunda. Somos dominados pelo inescrupuloso cosmo-vontade... - Brincando de oferta & demanda. Neste momentum o universo se move capitalisticamente. A humanidade é um nano lapso do espaço-tempo do universo em expansão.  




sábado, 8 de julho de 2017

O doce infinito me propõe a morte. Num espaço extenso sem a preocupação da existência.




O doce infinito me propõe a morte. Num espaço extenso sem a preocupação da existência. Deixe a ciência de lado, pois ela é um pequeno filhote da filosofia.  A noite não é mais para o sonho. Os dedos batem as teclas sem destino & foco. Os dados de deus proibido por Albert Einstein rolam impunemente nos céus iluminados por estrelas capitalistas de Las Vegas. Agora - eles estão viciados. Cantem os fantasmas dentro da ressaca ingente.  As dinamites explodem em serie pelos bancos da cidade. Os porres se sucedem como uma sinfonia de Stravinski. Anarquistas queimam seus corações em fúria anti-capitalistas. Os pés batem nas lajes geladas das sulinas vivencias sedentas por mundos melhores.  Você está fora/Out. Procure algo além de seus porres, de suas loucuras, de suas letras, de seus vômitos na madrugada. Os banheiros dos bares cheiram a naftalinas, mas as baratas sobem pelo seu corpo. Os sinos não badalam pelos bêbados noturnos. Os joelhos genefluxam sob a cruel natureza humana.  A lua se escondeu para não ver a tragedia. As estrelas oram pelo universo que chora o destino:
Ouvir os flautins quebrando o silêncio,
o badalar do carrilhão, sinos de prata
anunciando mais um funeral;
as velas alvas das embarcações ancoradas,
e, o soar ao longe do vento na crista das ondas. Autor - smerdilov

Não mais ouvir... Apenas os murmúrios do mar. Dos homens esqueci, lembrando literatos que se salvavam com  as palavras silenciosas coloridas no neocórtex. No passado fui corsário, navegador oficial, escriba no Egypt  & poeta. Embalsamei cadáveres.  Procuro um tao entre as moléculas humanas, mas percebi que estou perdido. As escumas são o esperma universal do oceano. A procura do sentido universal. A vida é edulcorante. Um prisma - que não dominado externamente - Um arco-iris. 







terça-feira, 13 de junho de 2017

O Apóstata - απόστασις - Renuncia da Existência, da Ideologia, do Universo = 0/0



The Sound of Two Black Holes Colliding




Rasputinio, o cavaleiro da triste figura, que disfarça seu perfil, por meio do photoshop, trafega nas digitais informações. O neocórtex assume toda a responsabilidade da evolução. Os aracnídeos resolvem todas as necessidades existenciais e de preservação da espécie  por meio de teia. Today, somos adeptos das aranhas. Estamos em rede, em fios & nós. Rasputinio procura uma brecha no espaço-tempo. Buracos de Minhocas, dobras espaciais ou simplesmente viajar nas sinapses em expansão da velocidade e do delírio da "mente". Estamos sós. A viagem cientifica trará mais dúvidas. Parece que só álcool nos faz viajar pelo túnel do CERN em segurança de sentido sem sentido. Rasputinio já sente seu corpo negar sua loucura. Não temos mais jardins que compensem as doidivanas noites. Estudamos e lemos muito, mas nada concluímos. A digitalidade nos consome a última parte humana de nosso corpo. Deixaremos de ser humanidade. Estamos perto de ser homens funcionais. O substantivo vai sufocando o adjetivo. A literatura talvez nos salve. Enquanto os Black Holes se beijam num universo infantil e pragmático. Deixamos o tudo. Viajamos para o nada = 0/0. A indeterminação é o nada. Respiramos átomos delatores de nossa inconsciência & inconsistência. Apóstatas do nada, da vivência... Andamos de mão dadas com o niilismo preenchido da matéria escura, que torna as leis  físicas, today - em picadinhos de um bar quântico flutuando no kaos alcoólico de uma bad trip  de substâncias inalcançáveis para humanos...




sexta-feira, 2 de junho de 2017

Os dias se alongam, as noites foram abreviadas...








Os dias se alongaram. As noites foram abreviadas. O álcool ajudava a preencher os espaços vazios e a insonia a encurtar os sonhos. A temperatura psicológica variava intensamente nas 24 horas, tanto - deep - nas agruras da depressão, bem como - Sweeteners - das utopias ideológicas & dos paraísos artificiais. Existência alcoólica, não bêbada, pois a alcoólica o homem domina o etílico e bêbada é quando o homem sucumbe ao álcool. Precisamos ser pseudos fortes para que as ingenuas forças nos considerem livre-arbítrio. O domínio é do universo. O homem é um joguete de dados viciados e pré-determinados de cassinos mafiosos-quânticos. A teoria das cordas é o Prêt-à-Porter da ciência provisória. Quanto a nós -ficamos nos encharcando nas chuvas ácidas, intelectuais & rebeldes. Não temos temos os garçons de má fé de Sartre. A gorjeta e a propina são faces da moeda do mercado. Sabemos como o mundo se move em direção ao nada. Não incomodem - dormindo sentado na privada com o livro de Fritjof Capra. Os átomos se compartilham de forma mais intensa lá fora. Os arranjos e combinações de opiniões e ciências nos livram do monopólio da ditadura intelectual. A inovação contrapõe a autoridade tradicional da intelectualidade. São complementos para a dialéctica... Très bien... Como li no passado - em um diálogo deslocado do espaço-tempo - de Vladimir Ilyich Ulyanov & sua testa Lombrosiana, que significava inteligencia. As humanidades sempre tem seus teores opressivos & negativos. Intertextuais rebeliões na falta de sentido. Atravessando hermenêuticas & estações...









quarta-feira, 24 de maio de 2017

Arqueólogo do Futuro Escavando o Neo-Córtex da Humanidade.... A palavra constrói & destrói...





Dentro de um médio prazo tudo terá se extinguido... Uma nova combinação entre sub-partículas  e forças que regem a física nos suprirão a consciência. Voltaremos a eterna brincadeira do que não dominamos. O vazio combina com o vácuo. A energia viaja em ondas. Ora matéria. Ora frequência. As teorias se desmancharão no infinito plural & singular. A palavra constrói & destrói. A única eternidade é o presente. O Choque de subpartículas nos tuneis do CERN.  Os átomos são os deuses em suas combinações.  Se os animais pudessem representar deuses: - Seriam a sua imagem e semelhança...




Qual a complexidade do cérebro suicida? O que os kamikazes colocavam como recompensa em sua missão auto-mortal? O que o homem bomba prestes a explodir pensa? O que um suicida comum tem no seu córtex? - Nada mais de que o paraíso está logo ali, ou seja, feromônios - que que estimulam o prazer... Mas, se for um ateu? - Apenas descobriu o sentido da vida, ou seja, a morte, a nulidade do zero, mas sua importância para concretizar o nada... Não temos mais privacidade, estamos num mundo virtual... Ao aderirmos estamos condenados... A existência complexa nos reduz a importância do niilismo. Estou saindo para uma aventura sem volta.... O figado já sente o projeto. O tempo-espaço flui na matéria-onda. Somos enganados pelos os elétrons bombardeando os objetos. O Álcool em super excesso me afasta dos humanos. Acho positivo não pertencer a "raça" terráquea. A destruidora do seu próprio lar. Dentro da salvação humana. Uma consciência pode ter o infinito poder. A cruz, o pecado original e a todas fragilidades humanas: - Um só bípede implume sacrificado, pode ser o expiatório  para o alívio geral...



 


quarta-feira, 17 de maio de 2017

0¹ - אֶהְיֶה אֲשֶׁר אֶהְיֶה - A noite foi ruim. Madrugada à la Bukowski. & A eternidade de Rimbaud...









A noite foi ruim. Madrugada à la Bukowski. Álcool, Náuseas e vômitos. Seria a hora de minha libertação da luz ofuscante. A doce paz da escuridão teria chegado? - Não... Meus átomos ainda percorrerão um longo caminho até o big crunch chegar. Como Empédocles fui: "rapaz, depois rapariga, árvore e ave, peixe mudo do mar". & no futuro serei alface, flor, semente no universo pré-determinado. Nada se salvará. Tudo será extremamente denso dentro do nada - Isto é - Superior a  de Rimbaud: "A eternidade é o sol e o mar".  O sol, o mar, o homem, o caracol & os neutrinos desaparecerão dentro desta singularidade extrema. 




O mundo que habito não existe relatos de religião, fé, dogmas, axiomas e princípios. Estou a procura do que não existe, ou seja, postulados, pontos de partida - Mas sou presente -  Estou sempre chegando na partida, ou seja, Sou o que sou. A  questão existencialista é porque existe o ser e não existe o nada?  (Martin Heidegger). Ainda bem - que não sou pomba para regurgitar minhas opiniões. Atualmente - Estou perto do polo sul, que me liberta  do medíocre. A real liberdade vem com a suspensão de premissas. O frio polar causa o homem função. O calor o deixa lânguido. Os adjetivos são ilusões humanas. O substantivo o suporte do nada.... Nada salvará o tempo-espaço e matéria...



quinta-feira, 4 de maio de 2017

A menina das horas infindáveis, das perguntas infinitas - proferidas da sarjeta: - Que horas são?






A menina das horas infindáveis, das perguntas infinitas - proferidas da sarjeta:


- Que horas são senhor?



Sua voz meliflua carregava uma estridente "verdade". Paradoxos. Quem ouvia. Sentia uma pressão enorme na "consciência". O doce e o amargo. A Estética agridoce:



- Que venha a morte. Que o espaço se curve ao infinito. Que minhas palavras se perpetuem como ondas e matérias. Que black holes me engulam. Que chegue o Big Crunch. Gostaria de falar de amor - Se ele existisse...


Mistura de física e sagacidade de alma. O sol tépido, o ar de enxofre e carbono - Eram deletado pelas árvores. Estava por uma bola sete. O preconceito era maior que a simplicidade expressa em sua pergunta:

- Que horas são Senhor, Senhora? 

E a sarjeta gordurosa e cloacal suportavam seus pensamentos baseados na imaginação de um mundo diferente, não melhor, somente diferente... Não lipídicos, apenas doentes-saudáveis... Com pensamentos não comprometidos com a realidade pré-determinada. O universo digital não suporta a ilusão analógica. Prefere o virtual manipulável ao mundo irreal  da "realidade"... 

- Que horas são?

E da sarjeta refinava toda sua ironia. & homens e mulheres passavam mudos. Inoperantes humanos... E a vida se preservava num limite em que os bípedes implumes pueris  - Desconheciam. Não temos estilos do Status Quo... A "verdade" nos chama de esgoto não tratado.... Enquanto bebemos o sangue do universo... 

- Sinhô, Sinhá... Que horas São?

E, assim, a garota das horas infindáveis passava o dia & a noite, rolhas, tampas metálicas e plásticas espocavam outra realidade.

- O mal é o que sai da boca. O que entra é a salvação. Temos limites... Alguém compreende? 

E a dança de dionísio continuava pelos séculos desde do oriente. A menina das horas infindáveis descendia dos ditirambos selvagens e grunhidos. O Mundo visto da sarjeta era caótico, perigoso e inesperado.

- Que horas são Senhor?

- Não pretendo ver minhas moléculas se desintegrarem sem uma utopia. As sarjetas que separam os homens. Que classificam as classes sociais. São minha casa, minha utopia, minha demência saudável.

- Que  horas são Senhora?

E os infinitos se sucediam. A garota das perguntas infindáveis era eterna na marginalidade  das Américas perdidas da Beat Generation, do sol  Hemigway  - The Sun Also Rises.  Os sinos não dobram mais pelos inocentes. A garota beijou a sarjeta sem saber que horas eram...




sábado, 22 de abril de 2017

Precisamos de milhares de Nikola Tesla, Voltaire & Henry David Thoreau...

“If you have built castles in the air, your work need not be lost; that is where they should be. Now put the foundations under them.” - Henry David Thoreau




A duplicidade da realidade se transforma em infinitas possibilidades... Pós-Moderno vivendo seu auge na física quântica. Hermenêuticas Anti-Hermes-Trismegisto... O oculto só é segredo se e somente se - O absurdo pensar ficar restrito ao epifenômeno da singularidade... Não preciso de algoritmos para viver uma depressão; apenas escrevo & vejo o passado num vídeo com  Angie Dickinson... Estamos perdidos num eclipse EnlightenmentAssim Seja... Vamos montar textos à la George Perec - Com jogos de palavras, mas hodiernamente, incluímos vídeos... Como esse:



As árvores eram mais verdes. O dióxido de carbono ejaculado pelos canos metálicos do "progresso" humano era restrito a vapores. A atmosfera, now, em todos amplos sentidos: ar, filosofia, ideologia, arte & tudo que abrange o antropomorfismo está poluído & pútrido... Bem, a morte nos espera numa disputa entre sub-partículas e forças que apenas supomos... Quebrando a gramática, quebrando o cartesianismo-fascista, que condena a diferença e constrói estruturas  monolíticas estofadas de políticas discriminantes. Precisamos de milhares de Nikola Tesla, Voltaire & Henry David Thoreau   para sobreviver nesta imensidão finita chamada planeta Terra, que abriga o neocórtex pensando ao infinito e agindo como destruidor do finito... Como já disse algum poeta a idade nos tira o corpo humano e nos faz gostar de animais e plantas...






sexta-feira, 21 de abril de 2017

Vamos vomitar todo o escárnio ocidental nas águas do pacífico...






Toda forma de amor vale a pena?
- Saberemos quando o bípede implume de Platão definir o que é o amor?
Vamos vomitar todo o escárnio ocidental nas águas do pacífico - Para que o oriente se purifique de sua luxuria pragmática... Bom tempos aqueles em que os chineses fumavam ópio em casa... Os Sagrados animais - Vacas, Ofídios, Macacos, Felinos & Etc... Estaremos bem quando nos alimentarmos adequadamente. Não temos o tao de alguma realidade - Precisamos da adequação para existir... As águas do índico  nos dão uma sensação de preocupação azul turquesa - Aonde estão submergidos Taj Mahal, Recifes de Corais com Miríades de Pólipos  & Tsunamis... A existência é a repetição... O mito de tântalo é a essência da vontade. Os grilhões do deus mercado. China Go Home... Não alimente o consumismo degradante...



Assisti um filme em que o protagonista era um cara chamado Pi (3,14)... Estamos na racionalidade procurando uma solução para o irracional PI... Nada mais que isso... A virtualidade se desmanchou. Quando abri a porta de ferro pesado e os raios solares de outono tornaram minhas pernas brancas - Tépidas... Entendi que os elétrons são a estabilização & a destabilização do universo - As verdades são interpretativas & como Nietzsche escreveu: - "Não Existem Fatos; apenas Interpretações"... O amor é mais um filho da mãe de todo humano, ou seja, a irracionalidade. Os conceitos humanos aos olhos do universo infinito são conjuntos vazios, que flutuam no antropomorfismo gelatinoso do planeta Terra...